terça-feira, 3 de maio de 2011

Férias!!!

Pelo título imagino que o leitor esta pensando que entrei de férias. Enganou-se!
Esse post é referente A viagem que puder fazer nas férias de janeiro. Isso mesmo! Estou desde janeiro para fazer o blog e esse post em específico. E sendo assim, mais do que atrasado inicia-se o relato:

Imagine-se de férias e contemplando essas imagens!

Serra da graciosa
Morretes
Porto de Paranguá
Pontal do Paraná
Matinhos

Pois é! Fiquei com vontade de ir conhecer! Então o que fazer? A resposta veio de modo muito inesperado, acredito que quem esteja lendo esse relato já tenha pelo uma vez entrado em contato com algum fórum, pois bem, encontrei um parceiro de pedal em um fórum de bikes (pedal.com.br), um jovem rapaz de uma cidadezinha muito próxima a Maringá, e conversa vai conversa vem convenci o André a viajar com a minha pessoa. Foram dias de preparação física e planejamento de roteiros. No fim o trajeto vencedor foi esse:


Então marcamos o dia de viagem. Era inicio de janeiro ainda, próximo ao dia 08 e tinhamos uma boa previsão do tempo bem favorável, prometia sol, o que era muito bom para dois cicloviajantes de primeira viagem.

Primeiro Dia
O primeiro dia começou com a ida de ônibus de Maringá até Curitiba. Fomos em ônibus separados por conflito de horários da rodoviária.

Parada do busão no posto Soledade! Eram 3 horas da madruga e eu ainda não tinha conseguido dormir devido a ansiedade.
A bike antes de ser retirada do busão. Já na rodoferroviária de Curita.
Meia hora contada depois de eu descer, eis que chega o André e o primeiro passo foi logo montar as magrelas! Saímos da rodô pedalando já e procurando algum lugar apto a tomarmos um café da manhã. Eram 6:30 da manhã.
Tomamos nosso café da manhã em um posto de combustível. E aproveitamos para nos trocar, vestindo roupas mais confortáveis ao nosso passeio. Nos perdemos um pouco até encontrar o sentido correto a seguir na BR-116.
Começada a viagem com pouco mais de 10km eis que:
Problemas nos rolamentos do cubos dianteiro do André.
Somos garotos de muita sorte.
Era sábado 8:20 da manhã e encontramos uma bicicletaria, só abriria as 9, o jeito foi esperar pacientemente.
Aproveitamos para dar muita risada e tirarmos fotos. Logo o dono do estabelecimento chegou e rapidamente resolveu o problema. Seguimos nosso pedal já com algum atraso.

Aqui, nem sabiamos onde estavamos, mas paramos para uma foto e logo depois parariamos mais duas vezes por pneus furados. Atrasando mais um pouco a nossa viagem que já era demorada devido a falta de preparo do amigo que vos fala.

Depois de algum tempo de pedal, que agora não me recordo paramos para abastecer as caramunholas e eis que a minha bike cai e zera o ciclo. Pensa um ser revoltado! Mas logo também passou.
A BR-116 nesse trecho, até o portal da Graciosa é uma verdadeira montanha russa. Não me lembro quanto já tinha sido pedalado finalmente apareceu a primeira placa com referencia ao nosso "Destino".

Acreditem essa placa dizia que o portal estava a alguns poucos metros. Ilusão!!

Mas uma hora apareceu, e foi pra mim, já como uma vitória!
Pro andré nem tanto.
Parada na lanchonete atrás do portal para almoço (dois pastéis de carne e 1 coca) e reabastecimento de caramunholas. Até aqui já se somavam quase 50km.

Ahhhh o almoço!!!


Depois de comer....vamos a serra!! Próximo ao meio-dia e nós pedalando numa lua que já castigava! O inicio da serra foi marcado por dois fatos engraçados. O primeiro foi muito próximo ao local dessa foto. Vinhamos descendo e o André tirando fotos com o celular, quando da um tranco e o celular vai pro chão! Até ae tudo bem, mas ao parar a bike para pegar eis que vem descendo um pick-up em direção ao celular no meio da rodovia, o André saiu mais rápido que tudo e deu um chute no celular em direção ao acostamento! E acreditem se quiser, não quebrou nada! (nokia N95, recomendo)

Lá estou eu morrendo com a subida que antecede os famosos paralelepipedos.

O segundo engraçado foi pouco depois dessa foto.
Aqui ainda existe asfalto e a descida é realmente muito inclinada, então a bike embala com uma facilidade absurda, em um momento de distração me perdi numa curva e saí pela tangente rumo a um desses barrancos já a quase 50km/h. Por obra do divino que a bike enroscou no mato e eu consegui sair por cima dela e correndo no asfalto, não caí! Mas os 3 carros que vinha atrás não tinha uma pessoa sem estar gargalhando!

vista do primeiro mirante. Aqui é possivel ver o mar, desde que sua camera seja melhor do que as nossas.

Entrada para uma das várias pequenas cachoeiras presentes pelo caminho. Sobe o morro pra tirar foto.

Foto no pé da cachoeira, eis os dois pedaleiros!
Agora imaginem o André com bike de Speed (pneu fino e sem suspensão) descendo isso ae. Foi a parte mais devagar do nosso passeio. Nesse trecho existia um video feito por alguns outros pedaleiros, mas que sem querer acabei apagando do celular.
Daqui pra frente as fotos foram inexistentes por motivos de tempo e descuido, já se passavam das 15:00 e nosso hotel estava ainda a mais de 50km de nós, e eu já sentia cansaço.
Paramos algumas vezes para beber água e descansar um pouco. Até as 18:00 chegamos a entrada de Paranaguá. Agora só faltava encontrar o hotel.
Perguntamos para um homem na rua que foi muito gentil e nos disse o seguinte: "Sigam por essa avenida até o segundo semaforo e lá vocês podem pedir ajuda, que alguém indica bem facil pra vocês onde fica o hotel"
Aqui o pedal já acumulava 101km, bem mais que os 60km que havia pedalado até então. Mas o pior não foi isso, até o dito semaforo foram mais 10km e até o hotel, o primeiro dia fechou com 116km de pedal.




Segundo Dia

Acordamos tarde, por volta das 8h e seguimos para o café. As 9h estavamos saindo do hotel. Hotel Palácio com internet wi-fi e sem problemas para levar as bikes para o quarto. Muito bom! também recomendo.

As bikes no quarto.


A primeira parada foi uma farmácia, não tinha ninguém doente não, paramos para comprar água mineral, isotonicos e algumas coisas para comer.

Parados na farmácia, bacana que a cidade tem muitos "bicicletários" como esse, bem diferente de Maringá ou Ponta Grossa.
Esse era o deserto da cidade no domingo as 9h de manhã.


Amadores que somos não tiramos fotos do caminho de Paranguá até Matinhos, prometi a mim mesmo que passaria a tirar mais fotos, e estou fazendo isso nos novos passeios.
Quase chegando em Matinhos, aquilo ali na frente pedalando, sou eu!

E finalmente a praia!





Terceiro Dia




Ficamos muito bem acomodados na casa de uma grande amiga (Neh Cami??) e fomos tratados como reis! Dessa estadia só tenho os maiores elogios! Esse foi o café da manhã do dia seguinte
Aqui foi o almoço!

E por fim, a foto de despedida. Bikes já no carro e o Pai, da Cami, mas que eu ainda chamo de Pai quando encontro, nos levou até a rodoviária de Matinhos de onde seguimos até Curtiba.
Essa parte de Curitiba a Matinhos ainda rendeu toda uma história mas que não convém postar aqui! Um outro dia quem sabe eu conto.


Hoje fico por aqui! Espero que tenham gostado!

Abraços