quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Mais um....

Amigos,
Mais um pedal foi feito hoje, na verdade ontem também, mas o de hoje teve fotos e por isso deve ser registrado. Em uma manhã de folga, venci a inércia e resolvi sair de casa. Batia aquele friozinho que é gostoso de aproveitar, mas logo que dei as primeiras pedaladas percebi que o corpo ia esfriar e voltei em casa buscar uma blusa. Foi meu primeiro dia de pedal com uma blusa que não me incomodou em nada, talvez eu finalmente tenha acertado uma.
Pois bem, saí de casa sem roteiro certo e fui pensando em algum caminho e quando percebi já estava a 4km de casa e sem rumo, então pensei em fazer um caminho que havia feito esses dias, e que não relatei por sinal, só que de modo inverso. 
Foi um pedal bem gostoso, a temperatura ajudou muito, e a posição nova do selim ficou bem confortável, mudei depois de ler um livro de Educação Física. Segui atravessando a cidade até encontrar a Av Balduíno Taques, de lá não quis seguir pela Dom Pedro então subi até o Cemitério e depois segui pela Enérsto Vilela. Aos não Ponta Grossenses peço desculpas, mas como muito do caminho se passa por dentro da cidade, fico sem ter como explicar e não citar os nomes. Voltando, dali fui até a BR e que só hoje descobri ser PR. Me assustei com a quantidade de caminhões no começo mas logo me lembrei de que PG é conhecida como o entrocamento rodo-ferroviário do Paraná, logo não poderia ser diferente.
Outro susto se passou logo depois do primeiro sinal na PR, ainda dentro da cidade, passei o sinal e não percebi que estava sobre uma pequena ponte, dessas que são feitas pros trens passarem por baixo, e o sinal atrás de mim abriu! Eu não estava na parte dos pedestres e não havia ali um recuou! Apertei o passo e terminei essa ponte antes ainda dos veículos me alcançarem, mas que deu medo, deu!
Passado o susto a rodovia é uma delícia pra pedalar, o acostamento é muito bom, fora que nesse sentido o trecho virou uma agradável descida de alguns km. Desculpem as fotos com os detalhes pretos, mas ao contrário do que alguns estão pensando, não é o meu dedo, é a tampa do celular que estava fora do lugar e demorei um pouco a perceber.



Nessa última foto da rodovia gostaria de ver ao longe a continuação da estrada em que começa uma grande subida em zig-zag, grandes projetos de engenharia!!


Mas essa subida ai eu não encarei. Precisava voltar pra casa, então peguei o último acesso para voltar a PG e me deparei com uma estradinha de um asfalto impecável, pena não poder dizer o mesmo do acostamento, que por sinal era impossível de transitar, óbvio que fiquei no asfalto. Fui bastante respeitado pelos carros que passavam ali, todos, sem exceção respeitaram o espaço mínimo, foi uma grata surpresa. 



Mas como nem tudo são flores, antes de acabar esse pedaço da estrada eis que o banco soltou! Ficou bem solto, parei e apertei, graças a Deus que sempre levo um jogo de chaves allen. Mas sabe quando você senta e não esta a mesma coisa? Foi essa a sensação. Segui dali direto para a bicicletaria mais próxima, mas não sem antes passar por uma subida monstruosa de grande, ou talvez nem tanto, mas foi muito chata, demorada e cansativa. Total de 10 minutos na mesma subida fazendo força e uma sensação de vitória absurda ao chegar lá em cima com uma velocidade média de 12km/h na subida! Pena não ter tirado foto.
Ao fim de tudo o caminho foi esse a baixo, 36km no ciclo, média de 22,5km/h e muita gordura ficando pelo caminho.


E quando cheguei na bike shop me deparei com esse cartaz! Será que eu vou? Só pra ver qual é o ritmo de corrida do pessoal, vou sobrar com toda certeza.

Agora nada a ver com bike, mas como possivelmente todos aqui gostem de apreciar os detalhes da natureza, e isso não quer dizer que eles são pequenos. Duas fotos de ontem ao sair da academia.



Boa Noite