segunda-feira, 25 de junho de 2012

Mais um...Corrida

Boa tarde.

Bom pessoal, tempão que eu não posto nada por aqui, mas espero que entendam que rotina de faculdade de medicina não é fácil e quando aperta a temporada de provas, é impossível sair pedalar, aliado a isso tivemos uma temporada de muita chuva na região dos campos gerais que impossibilitou alguns passeios.
Feito o pedido de desculpas vamos a um novo relato.
Depois de uma temporada de quase dois meses sem um pedal de verdade, estava entrando de férias, me preparando pra elas, e eis que alguns dias restando, ainda, me aparece uma oportunidade bem legal. Estavam abertas as inscrições para a segunda etapa do campeonato paranaense de mtb, e seria em Rolândia, 100km de Maringá, onde eu passo as férias. Perfeito! Com todo meu despreparo de 60 dias sem bike, achei que era uma forma interessante de começar as férias. Mas não quis ir sozinho, chamei um amigo de pedal, o André, que já fez a graciosa comigo no começo de 2011.
Ele chegou em Maringá no sábado, saímos assistir o UFC e só conseguimos dormir as 2:30, pra mim não foi problema acordar as 6:00, já o amigo ficou com sono um bom tempo ainda. As 7:00 já tinha arrumado as bikes no carro e já estava indo para a estrada. Chegando em Rolândia, logo na entrada um belo lago.



Até pensei que poderia ter uma corrida ali, mas não foi o caso, seguimos uma galera que tinha as bikes presas nos carros, porque eu não sabia andar dentro da cidade. Logo chegamos no local da prova, era hora de pegar os kits da inscrição.





Com a plaquinha presa nas bikes, subi na bike pra checar se estava tudo ok, e ai percebi que a suspensão traseira tinha vazado, me deu uma sensação bem ruim essa hora, e saí procurando alguém que tivesse uma bomba de suspensão para emprestar, o medo maior era que tivesse quebrado algo e não simplesmente vazado. Perguntei pra equipe de Ponta Grossa se tinham, e tive resposta negativa (alias um obrigado a eles que de certa forma se preocuparam comigo) e perguntei pra mais algumas pessoas, sempre com resposta negativa. O jeito foi apelar e pedi pra anunciar no microfone se alguém tinha a bendita bomba, foi o tempo de falar e o Léo de Maringá apareceu me chamando e disse que um amigo me emprestaria (obrigado amigo!!), enchi ali e ele não murchou mais, até agora esta lá bem cheio!
Com a bike ok, me alinhei atras do carro da organização e saímos para um aquecimento.





Feito o aquecimento era esperar chamar a categoria para a largada!




A corrida começou e eu já percebi que não ia dar pé, o objetivo ia mesmo ser completar a prova, como eu já esperava. No primeiro retão eu já fui sobrando, mesmo as 27km/h eu nem conseguia acompanhar os que iam a minha frente. O caminho era gostoso de pedalar, fora as duas "subidinhas" que tivemos de vencer.







 Para a minha categoria eram duas voltas no percurso de 17km, a primeira volta eu já fechei com certa dificuldade, mas eu sabia que ia conseguir completar e então decidi fazer a segunda. Sofri ainda mais com a primeira subida, que era na terra. Quando terminei ela, o Léo, que já fazia a terceira volta, passou por mim e ainda ofereceu vácuo, que é lógico que não consegui acompanhar (o piá ta voando baixo).
Sege foto pra ilustrar o Léo e meu estado na segunda volta, parabéns pelo segundo lugar!!



Mas ainda faltava a subida no asfalto pra completar, e lá eu senti caimbras nas duas pernas! Nào conseguia pedalar de pé o o jeito foi subir sentado e bem devagar. No meio da subida me passou um tiozinho (nem tão tiozinho assim) que me deixou louco de inveja, ele passou como se fosse uma subida qualquer e de caloi basicona ainda.






Mas eu consegui subir, assim como o André, que terminou a prova quase 15 minutos na minha frente.




Sem saber de posições fomos direto pra mesa de frutas, olha que linda!


E de curiosos ficamos esperando o pódio, sem convicção nenhuma, até que ao anunciar nossa categoria o André foi chamado, fez o quinto tempo e levou um troféu pra casa. Parabéns.


Depois dessa, voltamos pra casa, que a mãe esperava com um belo almoço. 
A minha impressão da prova, fora quase ter perdido o coração pela boca, foi muito legal, é bem diferente pedalar competindo, e confesso que gostei muito da sensação. Confesso que queria estar mais preparado, e teria um resultado melhor, mas me diverti muito e com certeza vou participar de outras provas. O companheirismo do pessoal foi algo que me chamou bastante a atenção, quem dera se todo lugar no mundo fosse assim!

O percurso e altimetria da prova estão logo abaixo assim como um vídeo que fiz dessa que foi a minha primeira prova.




Grande Abraço