domingo, 6 de outubro de 2013

Centésima Postagem


Isso mesmo!!!!! 100!!!!
100 postagens no blog!!!
Muito massa chegar numa marca dessas pra algo que é indiscutivelmente lazer. Lógico que, quando comecei escrever aqui, não esperava chegar nessa marca, nem nesses mais de anos de blog. Aconteceu bastante coisa nesse meio tempo, 100 pedais, incrível! 
Uma conta fácil de fazer, um ano tem 52 semanas, o blog nasceu no dia 16 abril de 2011, são 2 anos e 6 meses na semana que vem, o que nos da 130 semanas. Isso quer dizer que exite uma postagem a cada 5 dias e meio aproximadamente. Eu fico até orgulhoso disso.
Como eu disse, nesse tempo aconteceu bastante coisa, teve cirurgia, provas (e o blog ficou bem abandonado essas épocas), viagem (curtinha, mas teve), corrida, passeio, inicio do grupo do pedal noturno pg (que por sinal chega a 1000 membros nessa semana se continuar como esta), o blog foi patrocinado, deixou de ser também, teve pedal/passeio/trilha em Maringá, Ponta Grossa, Curitiba, Presidente Prudente e até um pouquinho pelo litoral do Paraná. Conheci bastante gente, e bastante gente me conheceu também, muitos colegas, muitos mesmo, e até alguns amigos, muitos aqui de pertinho, e até gente de longe. Gente que eu nem conheço pessoalmente, mas que sempre dão uma palavrinha de incentivo pros pedais. 
Mas o post não é só pra falar do blog, se não, perde o sentido, já que ele existe pra relatar os pedais. E como não pode deixar de ser, tem pedal pra relatar.
Essa semana não foi das mais gostas, teve chuva de monte, teve frio, mas deu pra pedalar um pouco na terça-feira no pedal noturno, na quinta-feira teve chuva e frio, então não rolou pedal, mas a previsão era de sol para o sábado, será que isso deu ânimo!?!?!
Lógico que deu! Na quinta mesmo já comecei revirar o face pra ver se tinha pedal marcado, e nada de encontrar, então resolvi decidir o caminho e convidar que quisesse ir, depois disso feito, apareceu mais uma opção de trajeto, mas dae já tinha marcado e não quis abrir mão, queria mesmo era fazer esse pedal. Combinei de sair com o ViniciusJunior e o Marcão, lá no posto BV próximo à UTFPR as 13:30, para o trajeto da volta curta de Carambeí. No caminho até o posto passei na porta da Ponta Bike e tinha uma galerinha se reunindo ali, só acenei com a mão e continuei o caminho, chegando lá, esperi uns minutinhos e o time tava formado. Resolvemos pegar terra mais cedo e já entramos pela UTFPR mesmo, passando pelo fundo dos motéis e sando de frente com o clube Verde.


Andamos 50 metros no asfalto e já entramos na estrada velha para Carambeí, logo na primeira subida vi uma dupla subindo numa velocidade bem compatível com a nossa, resolvi chegar neles e convidar pra ir com a gente.


Quando cheguei lá, uma surpresa bem agradável, eram pai e filho pedalando, o pai levando o menino pra dar uma "treinada", fiz o convite mesmo assim e eles toparam fácil né, Nathan e Celso Kawahara?
No fim dessa subida, que é um tanto longa e meio chatinha, esperamos o resto do pessoal encostar, e nisso um grupo se junto a nós também, embora por um tempo bem curto, já que entraram numa bifurcação. Nós seguimos até o posto Menegatti, abastecemos de água e saímos pra Carambeí.
Mas nem entramos na cidade, pegamos uma pequena estrada de terra e já entramos pro Boqueirão, passamos por um lugar meio diferente, que me pareceu uma espécie de bairro escola, muito bem organizado, limpo, nada destruído, mas tudo absolutamente vazio. Nos surpreendeu positivamente não haver nada quebrado. Uma boa descida e logo depois uma boa subida também, e era a subida mais forte do caminho, dali pra frente os desníveis eram bem mais toleráveis. 
Um bom tempo de pedal num retão, só vendo os cachorros virem no portão das fazendas ver quem eram os loucos que estavam passando de bike, e logo, uma pausa pra água, já que o Marcão não havia parado nenhuma vez ainda.



Ainda antes de chegar na represa, pegamos alguns trechos com água acumulada dos últimos dias, e alguns lugares o jeito foi desviar porque não dava pra saber quão fundo era o buraco. Nessa foto o pessoal esta desviando mais lá no fundo, mas da pra ver como ainda tinha água em algumas valetas.


Mais um pouco de pedal, um pouco de água, uma parte de areia e chegamos no alto da represa. só quando cheguei em casa é que percebi que não tirei foto de lá, mas pra não deixar esse brecha aqui, eu peguei uma foto que tirei lá ano passado, só tiraram algumas árvores, o resto estava igualzinho!


Ali do alto eu insisti pro pessoal que eu queria descer pelas pedras e sair lá na segunda ponte, acabei conseguindo convencer o pessoal, e fomos. A descida esta quase toda no vídeo, por isso não tem foto.
Um pedaço feito na terra, a outra parte toda na pedra e com uns degraus meios esquisitos de descer com as pedras molhadas, o jeito foi procurar rotas secas e que não tivesse os degraus tão altos, e não é que eles sejam altos de verdade, mas a inclinação que se tem quando se esta ali é bem considerável, e não é difícil imaginar uma roda travando.
Passando esse trecho, contornamos uma matinha, e logo pegamos mais um pedaço de pedra, só que era pra subir dessa vez. Eu não consegui! Na verdade acho que dos 6, ninguém conseguiu. E ainda registramos um tombo do Nathan!




Então chegamos na segunda ponta pro Alagados, ali encontramos um outro grupo, grande, que estavam indo pra represa, mas nosso caminho já era o de volta. Atravessamos a ponte, e antes de chegar na primeira ponte, mais um tombo, rs rs. Na primeira ponte fiz umas fotos também.



Atravessando ela, havia um grupo de motoqueiros bem estranhos com garrafas de bebida e optamos por sair logo dali. Andamos mais um pouco e cruzamos com a estrada, o Celso e o Nathan dali, fizeram um caminho diferente, nós passamos por um conjunto habitacional e logo chegamos no asfalto. Ai foi só correr pro Posto santa Rita (do Daniel) pra tomar uma Coca gelada. 
No asfalto todo santo ajuda e rapidinho estava em casa.

Segue o vídeo:



E o percurso pelo Srava:



Grande abraço a todos!!
E obrigado pela atenção que vocês dão a esse trabalhinho aqui.

Valeu pessoal!!!