quinta-feira, 13 de março de 2014

Mais um....(Fazenda Bugio)

Noite!!

Ontem teve atualização, hoje tem outra. Cheguei de Balneário na quarta-feira a noite, e no sábado já teve pedal. Resolvi me enfiar num daqueles famosos pedais do Stark, porque ele jurou que ia ser ritmo tranquilo, porque o lugar é um dos mais bonitos da cidade, e porque o meio de chegar lá era por um caminho que eu ainda não conhecia. Fizemos o caminho do Perau indo pela BR-376, e voltando pelo Passo do Pupo.
Combinamos o encontro no Posto BP no centro, e saímos um pouco atrasados pro conta de uma leve confusão de horários do Sr. Nilson! kkkk. Ainda bem que , tempo, estava sobrando. A primeira parte do pedal não é das mais divertidas, exceto pela travessia da BR que fazemos por cima de uma ponte da linha férrea. Depois disso....asfalto com sobe e desce até o posto da Polícia Rodoviária Federal.











Da Posto da Polícia fomos até o Posto Tibagi, nesse caminho nos passaram um grande grupo de motociclistas escoltados pela PRF que foi muito legal de ver, passamos pelo Parque de Vila Velha e pegamos um bom trecho de subida. Nessa parte do pedal, eu senti bastante o ritmo e deu um certo desânimo. Tudo bem que estou gordinho, mas não era pra me arrastar tanto no asfalto.









Depois do Posto, finalmente entramos na terra. Um caminho muito legal, quase plano, só com algumas subidinhas ingrimes, mas curtas. Andamos alguns quilômetros e passamos por um riacho que permitiu algumas fotos bem legais. Seguindo caminho passamos por um lago bem legal também.









Depois do lago, andamos mais um tantinho e começamos a descer para o Perau, ai a vista ficou realmente bonita. Coisa linda de ver. Mais bonito só a cachoeira mesmo.







Na cachoeira tive uma boa surpresa, um encontro. Encontrei o Facin, um amigo de pedal que sofreu um acidente grave bem próximo de onde estávamos cerca de 6 meses antes, e agora já esta voltando aos pedais. Fiquei muito feliz. A descida foi delícia de fazer, mas a subida do outro lado é animal, longa e alguns trechos bastante inclinados. Mas a vista lá de cima também é um show.



Lá no alto, mais uma grata surpresa, as perninhas soltaram e o pedal começou render bem. Parei de sofrer tanto com o ritmo e até deu pra acelerar um pouco. Fiquei bastante satisfeito. Fomos na frente eu e o Guilherme até o Passo do Pupo, o Gui sempre na minha frente é claro. No Passo o pessoal começou chegar tudo com cara de triste. Ainda bem que uma coca muda tudo!


Só quando fui prepara pra ligar a lanterna foi que percebi que a bateria havia caído no caminho, pra mim, a baixa mais importante do pedal. No asfalto o pedal rendeu ainda mais, e a volta foi bastante rápida, com direito a sprint na descida da Fazenda Escola. Então chegamos ao Cescage.


Dali pra frente o pedal é dentro da cidade e perde a graça, era só levar a "criança" pra casa.

Segue o vídeo do pedal.


E o roteiro.



As fotos publicadas aqui foram feitas pelo Nilson Carvalhais e o Vanderson Pedroso, as minhas ficaram somente no vídeo. Espero que gostem.

Grande Abraço