quinta-feira, 23 de julho de 2015

Mais um...(BC-Itajaí-Navegantes)

Tenho um amigo que as vezes diz: "Quem tem padrinho, não morre pagão". Tudo bem que que eu não concorde sempre com ele, mas dessa vez a frase caiu como uma luva. Imaginem vocês que estou de férias sem saber ao certo quando retornam minhas aulas, ação correndo na justiça e mesmo assim a data não é certa, é inviável voltar para Maringá pois o retorno das aulas pode acontecer a qualquer segunda-feira, e portanto, estou em Ponta Grossa com o dia "livre". E nessa levada um grande amigo, o Marcus, me chama pra passar o fim de semana em Balneário Camboriú, o que você faria, sabendo que ainda não existe data para volta às aulas? Eu fui passear!
Saímos na sexta-feira pela manhã, chegamos lá perto das 14h, descarregamos o carro e logo saímos pro primeiro pedal, e traçamos uma meta de 200km em 4 dias, mas que não fossem uma paulera, fosse somente pra curtir e talvez conhecer alguns lugares novos, bem passeio. O primeiro destino foi Itajaí, já conhecida, um pedal leve, seguimos pela parte mais interior que liga as duas cidades, paramos em uma bike shop para perguntar dos pedais do sábado e tentar nos enturmar com algum grupo que ali estivesse, não deu lá muito certo, mas pelo menos pudemos contemplar duas camisetas enquadradas na loja, uma de campeão mundial autografada pelo Absalon e outra da equipe Euskatel autografada pela equipe toda, ambas com logos da Orbea. Passamos pela praia de cabeçudas e seguimos até o Molhe de Itajaí onde encontramos um amigo ciclista de Ponta Grossa, depois rumamos para o centro, paramos em outra bike shop e lá ficamos sabendo da inauguração de uma pista em um bike park próximo de BC, estava acertado nosso pedal para o próximo dia. Dali, resolvemos conhecer o outro lado do Molhe, que fica em Navegantes, atravessamos de balça, seguimos pela ciclovia (que alias é muito comum na região e deveria ser exemplo para tantas outras cidades do país) até a beira-mar, um deck bastante grande esta em fase de construção por lá, eu achei bastante legal, o Marcus achou que a vegetação da praia acabou roubando muito a vista da praia em si, mas de qualquer forma é um ponto legal de se conhecer. Rumamos até o farol e fomos contemplados com um por do sol espetacular quando olhávamos para o continente e um rosa absurdamente lindo quando olhávamos para o mar e as nuvens tingidas pelos raios do sol. Foi muito bonito.







Pra voltar o caminho foi basicamente o mesmo, pegamos a balsa, seguimos para Cabeçudas e só então mudamos um pouco, ao invés de ir para a estrada, resolvemos ir para a Praia Brava, só que pra isso precisávamos subir o Morro do Morcego (inclinação de 11% segundo o Strava), no pé do morro passamos por algumas meninas que gritavam um cachorro e ele não obedecia, resolvi chamar pelo mesmo nome que elas, e ele voltou, então desci em direção a elas para que elas pudessem pegá-lo, não sei se elas entenderam que eu estava chamando o cachorro pra longe ou qualquer outra coisa, mas não pareceu que elas ficaram felizes. pelo menos o Marley (um golden) voltou pra casa. Subimos meio no escuro, só eu tinha uma lanterna, passamos por um "serviço" com algumas velas e adendos, no alto do morro e ai uma boa descida até a praia. Lá existe uma rua a beira-mar, mas que termina num rio, tivemos que ir pra areia e atravessar o rio, depois rua de novo, e no finzinho da praia voltamos pra avenida principal. Fizemos o Morro da Rainha e chegamos na ciclovia da beira-mar de BC, ali já estávamos em casa.
Foram os primeiros 34km do fim de semana prologado.

Segue o trajeto:



E o vídeo do pedal: