sábado, 11 de julho de 2015

Mais um...(São Luis + Estrada do Pinguim)

Férias, sua linda, queria tanto ter de usado mais.
Já estão acabando, mas não da muito pra reclamar não. Eu sempre gosto de ter uma história pra contar e essas férias me permitiram fazer isso, embora não fosse esse tipo de história. Calma, que já vai dar pra entender.
Saí de Ponta Grossa com carro carregado e bike na traseira, pronto pra 8 dias de pedais consecutivos em Maringá, sai com sol, cheguei com sol, um pouco preguiçoso e resolvi que não ia pedalar, fui correr a pé no Estádio. N dia seguinte amanhece chovendo, a primeira pergunta da Mãe: "Pra que trazer aquela bicicleta?? Você só vai ficar aqui 8 dias!!" Eu na boa respondi "Mas eu pedalo 8 dias dae!". Ai conhecem a história neh.....praga de mãe pega. Choveu quase todos os dias em que estive lá, aquela chuva chata, que não para um momento, e o frio veio junto pra acabar com qualquer alegria.
Mas....quase todo dia, não é todo dia, então consegui pedalar dois dias, um foi no asfalto dentro da cidade, o outro foi esse que vou relatar aqui.

Em Maringá existem varios grupos de pedal, e eu não familiarizado com nenhum (sendo sincero) porque eu quase não fico por lá. Mas um que eu conheço é o da Sport Bike, no sábado tinha me proposto a sair com eles, mas acompanhando o facebook, descobri que o pedal tinha sido cancelado, peguei a bike mesmo assim e resolvi que iria até Marialva e depois retornaria fazendo também o contorno norte, assim ficaria no asfalto e sempre perto o suficiente pra alguém me biscar caso fosse necessário, sendo assim, segui pela Colombo. No cruzamento com a Av Pedro Taques encontrei um ciclista parado, de MTB e que aparentemente esperava alguém, como sou muito entrão, resolvi parar e conversar, ele sempre pedala com o grupo RED Bikers, e tinha um pedal marcado pra terra, nem pensei duas vezes e me escalei. Esperamos 15 minutos aproximadamente, nesse tempo chegaram mais dois ciclistas que embora estivessem juntos, não pertenciam ao grupo que eu acabara de conhecer. No fim saímos em 7 ciclistas, se não me engano, com destino a São Luis (um distrito de Maringá). Um boa pernada de asfalto até o cidade alta, uma descida muito legal....

In off 1: Essa descida foi onde levei um dos tombos mais feios, sérios, rápidos e por incrível que pareça engraçados da minha vida. No fim dela, existe uma curva pra direita e em seguida uma ponte por sobre um córrego. Eu simplesmente passei reto pela curva e dei um mortal por sobre a bike, quando a roda entrou numa vala no mato, e cai de costas no meio da plantação. Por sorte não me machuquei e segui todo o pedal. Detalhe que isso foi por volta de 2007, a descida ainda não era asfaltada, e ainda assim da um medo passar por la.

Voltando....uma subia pelos loteamentos novos da região e depois, finalmente, a terra. O azar foi que a bateria da câmera zerou justamente quando começou o pedal na terra, mas o bom foi que a estrada é muito compactada, então mesmo tendo chovido bastante, quase não tinha barro, e o pedal rendeu bastante, tanto que até a chegada em São Luis, parecia uma corrida entre a galera....deu pra esquentar as pernas.
De São Luis o pedal seguiu contornando uma serrinha, que em alguns momentos até é bonita, mas sempre pela estrada dos carros, sem um carrerozinho pra gente se divertir mais. Contornada a serra, descemos até a bifurcação que segue para Itambé e depois para Floresta e só ai começamos o retorno pela Estrada do Pinguim, que era basicamente uma única subida até o centro de Maringá. Ok ok, exagero a parte, voltamos subindo bastante e descendo pouco, e algumas subidas eram um pouco mais fortes. Nesse trecho, por um tempo acompanhei um amigo que fechava o grupo, depois revezei com um pessoal mais do meio (desculpa não lembrar os nomes) e logo chegamos no asfalto. Um pouco antes disso, tive que comentar com o pessoal que acho que já era a terceira vez que fazia esse pedal, e que sempre jurava que não faria mais, justamente por essa característica de subir sempre e não ter um trecho que gere mais diversão. Eu sei que aqui em PG tem muito pedal com bastante subida também, mas alterna com trechos de descida ou single tracks que são bastante divertidos. Mas verdade seja dita....quando estiver em Maringá e me convidarem.....eu vou de novo, sempre.
No asfalto teve gente com caimbra e eu fiquei pra acompanhar, o restante foi na frente e pararam em uma pizzaria quando cheguei a pizza chegou logo em seguida. Comemos do lado de fora do restaurante, a noite, molhados de suor e um pouco de barro, num frio absurdo, literalmente batendo queixo, mas rindo muito do pedal que tinhamos concluído.

In off 2: Eu não lembro qual o nome do rapaz, mas quando estávamos saindo da pizzaria um andarilho veio nos pedir algumas moedas e alguém do grupo se prontificou e pagou uma pizza toda para o homem. Achei um ato bastante legal e deixo meus parabéns pela atitude.

Da pizzaria pra casa foi o pior trecho de todas, o frio foi forte e o banho pra esquentar pés e mãos foi bastante quente. Mas eu digo que o pedal foi bastante divertido e espero encontrar todo esse pessoal novamente quando eu estiver andando com um pouco mais de frequência.

Segue o mapa do pedal
     


E o vídeo do pedal